Posted by IN / 0 responses

Que falar à igreja, diante de tantos problemas?

25 janeiro 2017
Temos vivido tempos tão intensos, que acordamos com a sensação de que “os copos da tolerância e da paciência transbordaram”, obviamente precisamos que os homens públicos atuem com energia em suas decisões, mas na minha opinião, essa energia deve estar acompanhada de uma enorme dose de sobriedade e serenidade, afinal suas atitudes não podem ser intolerantes ou inconsequentes!
No dia em que falece um dos ministros do STF deixo uma reflexão aos irmãos de fé e de lutas, os acontecimentos dos últimos três anos no Brasil e no Mundo, incitam-nos a refletir sobre a importância de nos mobilizarmos em oração (leia toda a publicação e entenda), alias orarmos e muito, pelos homens que estão no exercício do poder, seja no Judiciário, Legislativo ou no Executivo e em todas as esferas do nosso país, Municipal, Estadual e Nacional.
Na minha humilde fé a oração nesse sentido só existe, se estiver acompanhada de uma BOA AÇÃO, afim de colaborar com os gestores públicos, dialogando e participando daquilo que é o interesse coletivo, transpondo a barreira das publicações nas redes sociais para o engajamento presencial, não apenas nas ruas em dias de manifestações, mas nas salas de debates, nas câmaras, na vivência partidária, nas construções de políticas públicas e nos embates diários, que para mim são os mais importantes, pois nos dão a oportunidade de conhecer o caráter dos indivíduos que desejam nos representar ou já nos representam, a serenidade e a sobriedade são construídas assim, coletivamente.

Oremos pelo Brasil

Evite agir como um IDIOTA vomitando porcarias líquidas nas redes sociais, vejo pessoas que não possuem uma vírgula de luta pelo bem coletivo em sua história, seu interesse próprio sempre foi o motor que a impulsionou a fazer algo, dê consistência à sua fala e ganhe respeito dos demais, faça algo relevante e após suas ações busque humildemente ser ouvido, para gerar mudanças sóbrias, serenas e com a energia necessária, para a sociedade que vivemos.
Após 22 anos de militância religiosa, 10 anos de lutas sociais e 5 anos de lutas políticas, começo a exercer o direito de opinar.
Deus abençoe você e se concorda #Compartilhe
*Este texto é pessoal, não deve ser encarado como texto institucional representando qualquer instituição a que sou ligado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *